E se o tratamento não der certo? A gente continua vivendo!

Já 2016…e de repente me deu vontade de escrever novamente no blog. Li há pouco o meu último post de 2012, quando ainda estava tentando mais uma tentativa de engravidar por FIV.

Como vocês devem ter imaginado pelo meu sumiço, não consegui engravidar novamente. Mesmo tomando o DHEA e aumentando um pouco minha produção de óvulos, só dois fertilizaram em não conseguiram se desenvolver. Também houve um problema durante a última extração dos óvulos, o que me causou dores e duas semanas de repouso para recuperação. Durante esse tempo, refleti muito sobre os três anos que passei pautando a minha vida em função desse sonho da maternidade, em toda a frustração, todo o desgaste físico e emocional pelo qual tive que passar, além do investimento financeiro que foi bastante alto, e decidi parar com o tratamento.

Não foi uma decisão fácil, mas como disse uma amiga que também tentou engravidar por um tempo e depois desistiu, cada uma de nós sabe até onde insistir e qual é o seu limite. É uma decisão muito pessoal e muito solitária também, afinal é o meu corpo, a minha saúde, os meus sentimentos, e nem família, nem amigos, nem companheiros podem dizer a hora de continuar ou a hora de parar.

Confesso que tomar a decisão me trouxe uma certa paz, que há muito não sentia. Eu não aguentava mais tanta expectativa, tanta frustração, tanta espera, tantos exames, e aquela TPM quase constante devido aos hormônios, com toda aquela irritação, tristeza, mal-estar e outros sintomas que nós mulheres sabemos como são desagradáveis.

Algumas pessoas acharam que deveria ter tentado mais. Outras me disseram que eu até que insisti por muito tempo, mas como eu disse antes, cada um sabe o seu limite. Eu sei que para mim a decisão fez bem. Eu acredito que eu fiz a minha parte, mas se não era para acontecer, Deus deve ter os seus motivos. E a partir daí, pude seguir a minha vida, ir atrás de interesses que havia deixado de lado enquanto estava focada somente neste projeto. Hoje, com toda as dificuldades pelas quais estamos vivendo, crise econômica, o trabalho cada vez mais escasso e pagando pouco, fico pensando em como seria se tivesse que sustentar um filho sozinha. Com certeza não ia ser nada fácil.

Mas antes que pensem que eu me arrependi das tentativas que fiz, muito pelo contrário! Eu fico feliz em saber que tentei, que investi no meu sonho, mesmo que infelizmente não tenha dado certo. Continuo, porém, a apoiar e a torcer por todas a mulheres que continuam nessa luta em busca da maternidade.

Sim, o sonho de ter um filho é maravilhoso, mas é bom pesar todas as dificuldade e consequências que se tem que enfrentar antes da decisão de passar por um tratamento de fertilidade. E estar consciente de que pode não dar certo, infelizmente, e é preciso saber lidar com isso também. Mas com muita fé e coragem, cada uma de nós vai encontrar o seu caminho. Boa sorte a todas nós!

7 Responses to “E se o tratamento não der certo? A gente continua vivendo!”


  1. 1 mada fevereiro 22, 2016 às 7:38 pm

    Oi Ana, nunca comentei, porém seu blog tem sido muito importante nas minhas reflexões e ações. Admiro sua persistência, sua força, sua sensibilidade para dividir com outras os momentos bons e ruins desta caminhada. Suas experiências são fundamentais para dar luz no percurso de mulheres que partilham o sonho da maternidade. Por favor, não abandone o blog. Desejo-lhe sucesso nos múltiplos projetos que ainda empreenderá na vida, sem conhecê-la sei que merece e que haverá de consegui-lo. Um abraço

    • 2 Ana Paula Lima fevereiro 23, 2016 às 6:48 pm

      Olá Mada. muito obrigada pelo seu comentário. Eu nunca tirei o blog do ar justamente porque acho que tem informações que podem ajudar outras mulheres que buscam esse sonho da maternidade. Precisei de um tempo para conseguir voltar a falar sobre o assunto, mas mesmo não fazendo mais parte dos meus planos, é um assunto que me interessa e quero continuar a compartilhar as informações que possa ter ou descobrir. Um abraço e boa sorte!

  2. 3 Maitê fevereiro 27, 2016 às 10:23 pm

    Poxa Ana Paula! Só Hj descobri seu blog e logo agora q vc desistiu! Te entendo totalmente viu e penso que você está super certa de mudar de caminhos e seguir sua vida da melhor forma!
    Te desejo tudo de melhor na nova jornada e obrigada pelo blog e pelas informações que vc disponibilizou, pois são muito úteis para quem precisa trocar informações !

  3. 4 Ana Thais março 14, 2016 às 1:22 am

    Deus sabe o que faz com as nossas vidas!
    Você deveria ter adotar uma criança!
    Amor é amor, sendo ele de sangue ou não

  4. 5 Camila abril 7, 2016 às 3:24 pm

    Oi, Ana! Comecei a pesquisar sobre produção independente e encontrei seu blog. Parabéns pela coragem de ir atrás dos seus sonhos! A grande maioria desiste sem nem mesmo tentar. E o mais importante da sua lição é que você chegou ao seu limite e não se arrependeu de ter tentado. Mais uma vez: parabéns!!! Como alguém aqui já comentou, vc já pensou em adotar uma criança? Conheço vários casos e para mim essa também é uma opção.
    Espero que seja muito feliz com sua decisão.

  5. 6 Patricia abril 12, 2016 às 10:55 pm

    Ana,
    Se tudo correr bem no próximo mês faço a minha primeira inseminação… coloquei como limite 3 inseminações… pelo investimento monetário, desgaste e corrida contra o tempo, não me imagino a fazer mais do que 3
    Caso não resulte, tenho o plano B – adoção
    Aliás, a adoção foi o plano A, uma vez que comecei o processo antes, há já 2 anos
    Mas como até hoje ainda não apareceu nenhuma criança que preenchesse o meu perfil, resolvi tentar em simultaneo a produção independente
    Caso não resulte, pelo menos sei que tentei… é porque não tinha de ser
    Nunca me iria perdoar caso não tentasse

    Só me arrependo não ter tentado antes…

    Para diminuir a minha ansiedade, acho que vou em simultaneo começar a ver a adoção internacional e deixar que o destino resolva por si a forma como o meu filho vai chegar

  6. 7 Nad agosto 4, 2016 às 4:28 pm

    Oi Ana, a vida te reserva algo maior e melhor… fique atenta. Eu vi que você gastou 13mil na FIV porém nao achei nos outros post o custo de uma inseminação normal. Tenho 32 anos, e pretendo ter dois filhos. Eram tres mas a situação financeira e outras coisas nao permitem. Pode nos contar mais sobre os custos? Ah fiquei mega feliz de saber que a primeira foi bem simples, sem anestesias e coisas do tipo.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: