Arquivo para fevereiro \22\UTC 2016

E se o tratamento não der certo? A gente continua vivendo!

Já 2016…e de repente me deu vontade de escrever novamente no blog. Li há pouco o meu último post de 2012, quando ainda estava tentando mais uma tentativa de engravidar por FIV.

Como vocês devem ter imaginado pelo meu sumiço, não consegui engravidar novamente. Mesmo tomando o DHEA e aumentando um pouco minha produção de óvulos, só dois fertilizaram em não conseguiram se desenvolver. Também houve um problema durante a última extração dos óvulos, o que me causou dores e duas semanas de repouso para recuperação. Durante esse tempo, refleti muito sobre os três anos que passei pautando a minha vida em função desse sonho da maternidade, em toda a frustração, todo o desgaste físico e emocional pelo qual tive que passar, além do investimento financeiro que foi bastante alto, e decidi parar com o tratamento.

Não foi uma decisão fácil, mas como disse uma amiga que também tentou engravidar por um tempo e depois desistiu, cada uma de nós sabe até onde insistir e qual é o seu limite. É uma decisão muito pessoal e muito solitária também, afinal é o meu corpo, a minha saúde, os meus sentimentos, e nem família, nem amigos, nem companheiros podem dizer a hora de continuar ou a hora de parar.

Confesso que tomar a decisão me trouxe uma certa paz, que há muito não sentia. Eu não aguentava mais tanta expectativa, tanta frustração, tanta espera, tantos exames, e aquela TPM quase constante devido aos hormônios, com toda aquela irritação, tristeza, mal-estar e outros sintomas que nós mulheres sabemos como são desagradáveis.

Algumas pessoas acharam que deveria ter tentado mais. Outras me disseram que eu até que insisti por muito tempo, mas como eu disse antes, cada um sabe o seu limite. Eu sei que para mim a decisão fez bem. Eu acredito que eu fiz a minha parte, mas se não era para acontecer, Deus deve ter os seus motivos. E a partir daí, pude seguir a minha vida, ir atrás de interesses que havia deixado de lado enquanto estava focada somente neste projeto. Hoje, com toda as dificuldades pelas quais estamos vivendo, crise econômica, o trabalho cada vez mais escasso e pagando pouco, fico pensando em como seria se tivesse que sustentar um filho sozinha. Com certeza não ia ser nada fácil.

Mas antes que pensem que eu me arrependi das tentativas que fiz, muito pelo contrário! Eu fico feliz em saber que tentei, que investi no meu sonho, mesmo que infelizmente não tenha dado certo. Continuo, porém, a apoiar e a torcer por todas a mulheres que continuam nessa luta em busca da maternidade.

Sim, o sonho de ter um filho é maravilhoso, mas é bom pesar todas as dificuldade e consequências que se tem que enfrentar antes da decisão de passar por um tratamento de fertilidade. E estar consciente de que pode não dar certo, infelizmente, e é preciso saber lidar com isso também. Mas com muita fé e coragem, cada uma de nós vai encontrar o seu caminho. Boa sorte a todas nós!

Anúncios