Dúvidas e inseguranças de uma futura mãe

Tive uma segunda consulta com a psicóloga da clínica.  Não sei se já comentei, mas o conselho regional de medicina exige que qualquer pessoa que irá fazer algum procedimento que envolva doação genética, seja de óvulos ou espermas, precisa passar por uma avaliação psicológica, o que acho muito interessante e muito responsável também.  O que achei legal da Fertivitro é que eles oferecem 3 encontros com a psicológa. Eu já fui na minha segunda, e estou deixando a terceira para algum momento em que eu ache que precise mais, quem sabe depois de saber o resultado do teste de gravidez…

É muito bom ter alguém com experiência nessa área para poder discutir os problemas que passamos durante o processo. Como a Dra. Ana Rosa já trabalha em clínicas de fertilização há 10 anos, já viu todos os tipos de casos e configuações de famílias, e acompanhou a mudança e o conhecimento das pessoas sobre os métodos de fertilização ao longo desse tempo. E uma coisa que ela me falou sobre a decisão de ser mãe me pareceu muito sensata e verdadeira: que a dúvida em se tornar mãe não acontece só porque estou fazendo uma produção independente, ela acontece com qualquer mulher!  Muitas vezes, porque a mãe passou por um tratamento, caro, demorado e que envolve muito stress, ela não se sente no direito de duvidar da da sua decisão. Só que a dúvida existe sim! Em vários momentos, desde quando se descobre que está grávida, durante ou depois da gravidez, a mulher pode passar por vários momentos em que põe em dúvida a sua decisão de ser mãe. Existem momentos, (e não são poucos!) em que você se pergunta:” Era isso mesmo que eu queria, essa trabalheira toda? Onde fui amarrar meu burro?”. Porque criar uma criança não é nada fácil, mas tem uma recompensa que não tem preço que é o amor!

Da mesma forma fico muito insegura quando penso como irei contar para meu filho ou filha como ele foi concebido. O que direi para uma criança que não sabe ainda nem de onde vem os bebês quem é o seu pai, o que eventualmente vai acontecer! Claro, provavelmente ele não irá entender direito, mesmo eu tentanto contar a verdade numa linguagem mais apropriada para a idade em que ele tiver, mas o importante é que isso seja feito com muito amor e confiança. Porque uma criança que se sente amada, segura e que tenha certeza que foi muito desejada, poderá lidar muito melhor com os fatos da vida.  Às vezes as crianças até nos surpreendem quando lidam de uma uma forma muito mais natural com as coisas do que nós, adultos!  Como a Dr. Ana falou, é porque eles não tem preconceitos, ninguém nasce com idéias pré-concebidas. Elas são apreendidas por nós, atráves dos valores da sociedade em que vivemos. Portanto, quanto mais naturalmente tratemos essa questão, masi natural será também para a criança.

Com certeza procurarei uma escola que também tenha uma postura mais aberta com relação as organizações familiares, como já existem várias hoje em dia, a começar da abolição da comemoração de dia dos pais, dia das mães, etc. É preciso que a escola esteja do seu lado  na forma como discutir questões familiares para ajudar o entendimento da criança e não atrapalhar. A verdade é que eu terei que ir descobrindo aos poucos, já que tudo é muito novo e ninguém sabe ainda direito como lidar com essas questões!

1 Response to “Dúvidas e inseguranças de uma futura mãe”


  1. 1 Paula Alves dos Santos março 18, 2010 às 3:30 pm

    Oi Ana! Estou acompanhando seu blog e estou ansiosa aguardando pelo resultado! Bjos!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: