Início do tratamento… e das alterações de humor

Comecei o tratamento esta sexta!!! São injeções de hormônio que vão estimular a minha ovulação e que tomarei por 5 dias, a princípio até terça, quando farei outro ultrassom. Daí, dependendo dea formação dos óvulos, tomarei mais algumas ou não. Isso quer dizer que daqui uns 10 dias irei fazer minha primeira inseminação. Estou muiiiiito nervosa.

Na terça-feira terei também que dar uma lista com minha seleção dos doadores, cerca de 7 ou 8 opções. Isso porque na hora de solicitar para o banco, o semên que escolhi pode não estar disponível. A clínica irá solicitar para o pro-seed segundo a ordem que defini, deixando reservado para que eu busque no dia da inseminação. Eu é que terei que buscar, pagar (cerca de 2 mil reais), e levar para a clínica, onde será feita a inseminação. É claro que é um pouco estranha a idéia de levar o futuro  “pai” congelado para o procedimento, mas é estranho também escolher o doador pelas características físicas! Acho que para pessoas românticas como eu isso afeta ainda mais, já que destroi toda a ilusão de encontrar aquele cara ideal que gostaria de ter como pai do meu filho, independente da relação ser duradoura ou não.

Não sei se são os hormônios que estou tomando e que já estão me deixando mais sensível, mas estou me sentindo meio deprimida com a proximidade do dia da inseminação. Ontem me encontrei com alguns amigos onde duas coisas aconteceram que me deixaram um pouco tristes também. Primeiro, uma amigo me disse que acha injusto para a criança nunca ter a oportunidade de conhecer o pai. Isso não tem como discutir, realmente não haverá essa oportunidade. Por melhor que eu seja, e por mais histórias que eu conheça de pais horríveis que era melhor que não existissem, meu filho não poderá conhecer o seu, sendo bom ou ruim, e ele não teve escolha nessa decisão. Também acabamos vendo fotos antigas do nascimento da filha da minha amiga, muitas com o pai junto, todo orgulhoso do nascimento dela. Claro que ele hoje é um péssimo pai, nem contato tem mais com as filhas, mas me lembrou do quanto pode ser importante uma figura de um companheiro nessa hora de fragilidade. Eu não terei ninguém para me mimar durante a gravidez, ou me acompanhar na maternidade e no parto, nem ninguém para se emocionar comigo na hora do parto… e isso é triste.

Claro, terei minha família, meus amigos, mas será que bastará?  Não terei aquela pessoa especial que estará ali do meu lado, ansioso como eu estarei, dividindo comigo o milagre de ver um pedacinho de você tomando forma e chegando ao mundo. Será que todas as mães solteiras sentem isso? Será que ter alguém do lado é realmente tão importante, ou será que depende desse alguém?  Talvez só seja bom se essa pessoa for especial para você e esteja também envolvido e curtindo a vinda da criança, o que nem sempre é o caso, infelizmente.

Acho que estou muito sensível e por isso me sentindo mais solitária do que normalmente. Mas é bom eu me preparar, porque por enquanto é essa a minha realidade. Também não me sinto à vontade de ficar alugando meus amigos com minhas carências, afinal, cada um tem sua vida e seus próprios problemas…

7 Responses to “Início do tratamento… e das alterações de humor”


  1. 1 constance fevereiro 22, 2010 às 5:21 pm

    Ana, para de ficar procurando coisas ‘erradas’!!!!
    Você será uma ótima mãe, e isso é o que interessa; vc por acaso já viu alguma criança que não goste de você logo que te conhece????? Isso está em você, vc tem esse dom.
    Seu filho vai te amar, esteja certa disso, seja inseminado, de proveta, ou adotado!!!!
    (e pode me alugar quanto quiser!)
    BEIJOS

    • 2 Ana Paula Lima fevereiro 24, 2010 às 9:19 pm

      Você tem razão, não vou procurar coisas erradas…mas na verdade esse espaço eu uso para isso mesmo, poder desabafar as minhas encanações, preocupações e medos…é bom para diminuir a ansiedade! Mas pode deixar que vou te alugar sim, prepare-se! Quem mandou querer ser minha “irmã adotada”! Agora vai ter que aguentar! Beijos amiga, te adoro!

  2. 3 Sanérrima fevereiro 24, 2010 às 3:14 am

    Ana,
    não esquente com o que eu eu falei aquele dia, vc sabe: eu sou a SANA…”computóloga”, “exatóide”, como diz o Master Guss, somos “equilibrados” e “ponderados” até demais…
    Tenho certeza que você pensou bastante para tomar a sua decisão, e amor não vai faltar para o seu filho(a)..seu amor, da sua família e dos seus amigos sanos e insanos!!
    bjs! E aguardo boas notícias logo!

    • 4 Ana Paula Lima fevereiro 24, 2010 às 9:13 pm

      Eu sei que posso contar com o apoio de vocês…e é claro que eu já pensei em todas essas questões também! Mas sabe como é, os hormônios…tem dias que as coisas afetam a gente de uma forma mais forte. E é verdade, vou ter que começar a tomar suco de uva! Mas vai ser por um bom motivo!!!

  3. 5 Sanérrima fevereiro 24, 2010 às 3:16 am

    …e esqueci: no próximo encontro, como sua amiga SANA, vou levar Suco de Uva para vc fingir que é vinho….bjs!

  4. 6 Gloria fevereiro 26, 2010 às 12:01 pm

    Lembre-se de uma coisa: pai eh quem cria, quem dá amor e educa… não eh quem gera!

    Vc vai achar um companheiro maravilhoso um dia que vai querer dar amor a essa criança e poderá quem sabe chamá-lo de “pai”…

  5. 7 Patricia abril 12, 2016 às 9:15 pm

    Como estes comentários me ajudam a não perder a coragem… obrigada


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: