Dificuldade em lidar com o novo

É impressionante constatar como a ciência evolui muito mais rápido do que a sociedade. Tive um exemplo concreto disso esses dias.
Entre os muitos exames que estou tendo que fazer, fui fazer um ultrassom com uma médica jovem que me perguntou o porque do pedido médico. Expliquei que iria fazer uma inseminação e a conversa que se seguiu foi no mínimo inesperada:
– Desculpa me intrometer na sua vida, mas posso fazer uma pergunta pessoal? – me perguntou a médica.
– claro….- foi a minha resposta um pouco apreensiva…
– Não seria mais fácil você dar umas voltas por ai, sair com alguém…
– Não sei se acho isso muito ético…engravidar de propósito, sem contar pra pessoa? (assim, tipo usar alguém???)
– É, estou falando isso mas não sei se teria coragem de fazer…(ah tá!!!)
– Além disso, estou arriscada a pegar alguma doença, DST, Aids, a pessoas pode ter problemas congênitos….(eu, falando isso para a médica!!!!)
– Você está certa – concluiu ela.

O que mais me intrigou na história é o porque da resistência das pessoas em aceitar a inseminação artificial, e acho que o problema é exatamente esse: ser ARTIFICIAL!
Uma mulher ser mãe soteira, engravidando de propósito ou não, é algo com o que estamos acostumados a lidar. Desde que o mundo é mundo acontecem “acidentes”, e mocinhas ingênuas (ou nem tanto…) são enganadas e abandonadas pelos pais de seus filhos. Todos se compadecem da pobre e oferecem ajuda de bom grado a essa pobre mãe.
Agora, uma mulher resolver ter um filho sozinha, ai a história é outra! Lidar com uma situação nova como essa incomoda as pessoas nas suas certezas, a forma como elas cresceram e aprenderam a pensar o mundo.
Até para mim a idéia é ainda nova. Não temos padrões pré-estabelecidos de como nos relacionar com esses nossos filhos que virão para o mundo numa estrutura familiar diferente daquela de seus pais e avós.
Acho que teremos que aprender juntos, pais e filhos, descobrindo a melhor forma de encarar as dificuldades, à medida que estas forem surgindo. Só sei que é um desafio que valerá a pena ser vivido!

1 Response to “Dificuldade em lidar com o novo”


  1. 1 Tatiana dezembro 11, 2009 às 7:58 pm

    Ana, as mulheres que são mães solteiras ainda têm no inconsciente (acredito eu) que o filho não foi feito sozinho. A mãe independente creio que não terá nem isso para se “apoiar” quando o calo apertar – e olha que ele aperta!
    A mãe independente assume mais do que qualquer outra sua vontade de ter um filho, e para isso ela tem que ser mais “macha” do que muito homem!
    Essa mãe deseja,tenta e espera (como qualquer outra mulher), mas ela ainda vai além, e paga! Não tem amigo-gay, casinho, ficante ou destino para dividir a responsabilidade.
    Enfim, este filho terá sim pai e mãe, mas na corajosa figura de uma mulher que sabe e assume o que quer!
    Parabéns! Beijos.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: